Como fazer e cuidar de bonsai (do zero)

Bonsai. Foto: Reprodução/Pexels (Quang Nguyen Vinh)

Comprou um bonsai no supermercado e agora tá empolgadíssimo(a) porém pensando “Onde eu deixo? Ele gosta de sol? Tem que podar? Como cuida? Quando que rega? Porquê ele tá amarelo?”.

Pra escrever esse post fomos atrás das perguntas mais frequentes sobre bonsai na internet  (Deus abençoe o Answer the Public!) e elas vão desde tentar entender o significado de bonsai até porque dar um de presente passando, claro, por como cultivar um bonsai em casa. Então vamos começar do começo:

O que é bonsai e por que bonsai não cresce

Se você caiu aqui de paraquedas ou ainda é sua primeira pesquisa sobre o assunto, vou primeiro te explicar o que é bonsai. Bonsai é uma arte há séculos conhecida na China e no Japão que consiste em cultivar árvores e arbustos de maneira que fiquem em formato de miniatura. Isso significa que não, os bonsais não são árvores geneticamente modificadas para permanecerem pequenas. Ah, e o termo bonsai não se refere a um tipo de planta ou a uma espécie, mas sim à arte de utilizar métodos de poda e formato para criar uma velha árvore em miniatura. Sendo assim, você pode fazer bonsais (sim, no plural pois o termo já foi incorporado à língua portuguesa) de diversas espécies de árvores e arbustos. 

Em resumo, as mudas são conduzidas com podas constantes e cuidadosas nas raízes e transplantadas para vasos cada vez menores em passo em que têm sua parte aérea amarrada com arames para obter o formato desejado. Os bonsais não crescem pois, além das podas de parte aérea e raízes, os vasos limitam o crescimento das raízes.  

Eles são símbolos de honra, paz, equilíbrio e harmonia mas principalmente de paciência. O cultivo do bonsai leva tempo, muito tempo (estamos falando de anos!). Um bonsai tem uma data para começar mas pode nunca mais terminar. Tanto é que um bonsai pode durar anos se você (e depois seus filhos e netos) souberem como cultivá-lo. Se achar que é exagero de nossa parte dê uma olhadinha nesse post do Bonsai Empire com o Top 5 das árvores mais antigas de bonsai.

Bonsai para iniciantes: Como começar

Fazer pesquisas em sites especializados em bonsai às vezes pode te desanimar pela quantidade de técnicas com nomes difíceis e ferramentas e mudas específicas caríssimas. O bonsai como uma arte realmente engloba todas essas coisas, mas se você ainda está começando e não quer investir tanto assim a dica pra ter um bonsai é: comece. 

Você pode obter um bonsai a partir de qualquer árvore ou arbusto que tolere bem receber podas sucessivas e às vezes, drásticas. Procurando por aí você vai perceber que espécies como algumas Tuias (Thuja spp.), por exemplo, podem não suportar a poda, o espaço restrito para as raízes, a aramação (de arame mesmo) dos galhos, restrição de espaço para raízes ou simplesmente tem um cultivo muito específico. 

Na hora de começar, você pode optar em (1) plantar uma semente e esperar se desenvolver, (2) comprar um bonsai de supermercado, (3) comprar/fazer uma muda comum ou (4) comprar uma muda de bonsai. Independente de como e quanto você vai investir é importantíssimo que você pesquise e escolha espécies que se desenvolvam bem no clima da sua região. Comece do menos complicado e depois evolua para espécies e técnicas que demandam maior cuidado e conhecimento. Dessa forma as chances de se frustrar no primeiro bonsai são bem menores. Mas lembre, só não erra quem não tenta.

Independente do tipo de muda saiba que algumas espécies são mais fáceis de lidar que outras, sendo ideais pra começar. Ficus (Ficus benjamina), Caliandra (Calliandra harrisii), Pingo-de-ouro (Duranta erecta) e Buxinho (Buxus sempervirens) são bastante indicados. Pra quem gosta de bonsai de frutíferas as jabuticabeiras (Plinia sp. e Myrciaria sp.) aceitam bem a poda e sempre tem alguma espécie adaptada à sua região. 

Pesquisando por aí encontrei uma pequena lista das melhores espécies para bonsai nativas do Brasil: Jacarandáda-Bahia (Dalbergia nigra), Jequitibá-rosa (Cariniana legalis), Peroba-rosa (Aspidosperma polyneurum), Mirindiba rosa (Lafoensi glyptocarpa), Uvaia (Eugenia pyriformis), Pitanga (Eugenia uniflora), Jaboticabeira Sabará (Myrciaria trunciflora), Quabiroba de árvore (Campomanesia xanthocarpa) e Cerejeira do Rio Grande (Eugenia involucrata).

Muda, pré bonsai e bonsai

Sinto informar mas o “bonsai” que você comprou no supermercado ainda não é um bonsai, é apenas uma muda.

Muda é uma planta pequenininha de qualquer espécie. Pode ser plantada por você ou adquirida em viveiros, lojas de jardinagem, supermercados, etc. No caso de bonsai, além disso, muda é uma planta onde ainda não foi trabalhada nenhuma técnica de bonsai.   

Partindo desse ponto, um pré-bonsai é uma muda que já sofreu intervenções da técnica de bonsai e está sendo preparada para ser uma miniatura com o passar dos anos. 

Segundo o que estudei, só se torna um bonsai a planta onde, depois de anos, foram aplicadas as técnicas de bonsai para se pré-determinar um estilo, engrossar o caule e etc. Mas sejamos francos, tenho uma muda de jabuticabeira que comprei no supermercado e já a chamo de bonsai pelo simples fato de querer aplicar as técnicas a ela. 

COMO FAZER BONSAI: PASSO A PASSO

Todas as fotos são do @bonsaipacak, do Rio de Janeiro

Eu sei que é uma arte oriental milenar. Tem muitos termos técnicos e metodologias. Mas o objetivo vai ser ajudar te introduzir ao mundo do bonsai, permitindo acompanhar o desenvolvimento de uma árvore em miniatura.

Vamos trabalhar aqui de maneira generalista mas antes de mais nada é muito importante que você saiba qual é a espécie de árvore que você tem para que você saiba quais são as necessidades dela (dá um Google!). Lembre-se que cada planta é diferente e que se você quer que seu bonsai cresça mais e mais rápido, você vai precisar dar tudo o que sua planta precisa. 

Como plantar

Se escolheu fazer um bonsai a partir de uma muda, escolha uma que seja saudável, com formato de caule interessante e aposte nela. O formato a escolher é questão de gosto. Você pode pesquisar referências antes de escolher sua muda.  Existem 6 classificações de estilos básicos de bonsai (segundo minha pesquisa) com tamanhos e formas diferentes. Nesse curso básico de 25 páginas do Cláudio Ratto você vai encontrar todas elas (pág. 10, 11 e 12) e mais um monte de informações.

Quer ver mais referências de bonsai? Veja nossa pasta no Pinterest!

Saiba que você deverá replantar sua muda então deixe o substrato pronto antes de começar o processo para que ela não fique com as raízes expostas por muito tempo. O tipo de substrato pode variar de espécie para espécie mas pode apostar no substrato vegetal misturado com bastante vermiculita (pelo menos 50% da mistura) para a maioria delas. A vermiculita você pode encontrar na maioria das floriculturas e gardens centers mas se não encontrar, areia lavada serve também.

Você não precisa de um vaso de cerâmica caríssimo logo de cara. Pode usar qualquer vaso de plástico e até um balde velho. O importante é que seja furado no fundo para não acumular água (isso pra todas as plantas que você for plantar na vida!). Cubra o fundo do vaso com uma manta geotéxtil (ou TNT, se for o que você tem em casa).

Tire a sua muda do vaso ou saquinho em que ela veio, desmonte o torrão com cuidado e paciência para não quebrar as raízes e deixe à mostra o máximo de raízes que conseguir. Corte cerca de 30% das raízes com uma tesoura afiada. É preferível que você tenha ferramentas específicas para trabalhar com as suas plantinhas, mas se não tiver, é importante que suas ferramentas sejam afiadas tenha um corte firme e preciso para que não machuque a planta “mastigando” a parte que você está cortando. Caso queira investir um pouco, procure com pela tesoura de bonsai e o alicate “bola” (ou côncavo).

Distribua as raízes no substrato do vaso novo. Se as raízes forem pequenas e finas basta distribuir no vaso e cobrir com mais um pouco de substrato. Se a planta já tiver raízes mais grossas é comum utilizar um hashi (lê-se “rachí”, aqueles palitos usados para comer comida japonesa) para colocar substrato entre as raízes de forma que toda a raiz fique em contato com o substrato. Lembre de regar após o plantio.

Caso sua muda já seja um pouco grande, faça uma poda nos galhos para começar a dar formato para sua planta. Corte sempre o mais próximo possível do início do galho e caso fique na dúvida sobre cortar um galho, não peque pelo excesso. 

Se você quiser um bonsai com o caule grosso então deve plantar a sua muda primeiro em um vaso grande (bem grande mesmo, tipo uma bacia ou balde) e deixar se desenvolver livremente por anos até mexer nela de novo. Existe inclusive uma técnica de fusão de troncos para acelerar esse processo, mas não sei até que ponto os antigos orientais aprovariam o método já que um dos dons a serem desenvolvidos com o cultivo do bonsai é a paciência. 

Se a sua muda já tiver o caule da grossura que você deseja, você já pode transplantar para um vaso menor mas com calma! Os vasos mini só vão ser usados depois de um tempo pois a poda da raíz não pode ser muito drástica. Dê tempo para sua planta se recuperar e rebrotar antes de trabalhar com ela de novo. Diminua o tamanho do vaso a cada intervenção (cuidadosa) nas raízes. 

Quer começar como um exímio bonsaísta? Você vai precisar obter materiais e aprender técnicas de aramação desde o início. Nesse vídeo o pessoal da Bonsai Empire explica como preparar uma muda específica para bonsai com aramação (tem legenda em português). 

Como e quando transplantar

Periodicamente você deverá transplantar seu querido bonsai, geralmente para vasos menores. As plantas com floração abundante, as caducifólias (que perde suas folhas em certa estação do ano) e as frutíferas, normalmente, são transplantadas todos os anos. Já árvores perenes e coníferas (pinheiros, cedros e afins), a cada 2 ou 3 anos. Quanto mais velha sua planta ficar, mais tempo haverá entre essa operação. Se não souber exatamente quando é a melhor época para transplantar a espécie do seu bonsai, opte pelo início da primavera

Sabendo disso, o processo é como o plantio então caso tenha passado batido volte pro tópico anterior. Depois, é importante manter a planta longe do sol forte, vento e frio por no mínimo 2 semanas. Passado esse período você pode ir colocando seu bonsai ao sol gradativamente (se esse for o lugar dele, né?).

Como cuidar: sol, sombra ou meia sombra?

O local onde você vai deixar o seu bonsai é um ponto fundamental para mantê-lo bonito e sadio. É claro que você já deu um Google e viu as exigências da espécie que você escolheu para saber se sua planta precisa de mais ou menos sol mas, de maneira geral, o bonsai pode ser cultivado ao ar livre. Afinal, se o intuito é ter uma miniatura de árvore realista é necessário que ela sofra com as variações climáticas!  Para isso, serve qualquer jardim, varanda ou sacada onde o sol ilumine diretamente seu bonsai pelo menos pela manhã. Mas saiba também que existem alguns bonsai específicos para serem mantidos dentro de casa. Se for viajar você pode deixar seu bonsai dentro de casa sem supervisão por até 3 dias desde que o ar condicionado e o aquecedor estejam desligados. Passado disso é melhor chamar alguém pra cuidar do seu pequeno. 

Evite deixar seu bonsai diretamente no chão por causa da umidade. O ideal é que o vaso fique ao menos a 80 cm do chão e se você puder colocá-lo sobre um estrado de madeira será melhor ainda ou isso vai favorecer a ventilação. 

Observe que os galhos e folhas do seu bonsai vão crescer procurando o sol e isso pode desequilibrar  formato que você havia pensado inicialmente. Para que isso não ocorra (ou seja menos perceptível) rotacione o vaso no sentido horário de tempos em tempos.

Preciso aramar?

A poda dos galho e folhas do bonsai é feita pra alcançar o formato desejado da sua mini árvore. Aliada à poda, também pode-se fazer a modelagem (ou aramação) com arames de cobre ou alumínio próprios para esse uso (existem lojas só de materiais para bonsai!). Simplificando, os arames são usados para direcionar o crescimento dos galhos enquanto a poda tem a função de manter o formato.

Se a sua intenção é apenas ter uma mini árvore, pode pular essa parte. Mas se quer ter um legítimo bonsai com todas as suas curvas e longos galhos simétricos, vai ter que aramar sim! 

Uma vez que decidiu aramar seu bonsai lembre de não apertar muito o arame para não danificar ou marcar o galho. Também evite enrolar folhas, brotos e pequenos ramos junto ao tronco ou ao galho para não esmagá-los. Fique de olho no crescimento da sua planta para retirar o arame antes que machuque o galho ou o tronco da sua plantinha.

Como e quando regar

A rega nunca vai ser uma receita de bolo. Ela vai variar de acordo com o tamanho da árvore, do vaso, época do ano, clima, etc e etc. Mas o ponto mais importante é saber a espécie de árvore que você escolheu e suas peculiaridades. Como se não bastasse, o cultivo em vasos pequenos e rasos também dificulta a manutenção da rega. Você vai descobrir que o tempo e a observação do seu bonsai vão ajudar a acertar a rega com menos dificuldade.

Como dica posso dizer que, assim como para a maioria das plantas, a rega deve ser feita sempre nos períodos mais frescos do dia e molhando todo o substrato no vaso. A rega do bonsai deve ser frequente mas, se verificar que o substrato ainda está um pouco úmido, não regue. O encharcamento do substrato pode levar ao apodrecimento das raízes do seu bonsai. Se o seu bonsai não fica sobre um estrado de madeira que favoreça a ventilação então cuide para que não haja acúmulo de água sob o vaso para evitar o excesso de umidade e a procriação de mosquitos da dengue. 

Caso observe que a água da rega está demorando muito para ser absorvida pelo substrato, revolva a superfície do vaso para melhorar a drenagem e, se não resolver, faça um transplante!

Foi viajar, não deixou ninguém para regar o seu bonsai e agora ele está todo tristonho? Num momento de emergência você pode mergulhar todo o vaso em água de 3 a 5 minutos e torcer para que ele se anime.

Adubação

Para que plantas cultivadas em vaso se desenvolvam ao máximo é preciso que seja feita a reposição periódica dos nutrientes do substrato. É claro que, pelo tamanho reduzido das plantas e também dos vasos, a adubação de bonsai deve ser cuidadosa, evitando excessos. Altas concentrações de adubo podem ser fatais para seu bonsai!

Você pode usar adubos orgânicos ou químicos. Adubos orgânicos são mais seguros quanto à possíveis excessos pois são absorvidos de forma mais lenta mas de qualquer forma, leia a embalagem antes de usar. Um adubo orgânico que recomendamos é o Bokashi, que já vem pronto para uso. Adubos químicos possuem diferentes fórmulas em relação às quantidades de nitrogênio (N), fósforo (P) e potássio (K). Para escolher o melhor para sua planta é importante conhecer sua espécie e suas exigências. Uma forma de não exagerar é usar metade da dosagem indicada pelo fabricante na embalagem. Realizar a adubação a cada 20 dias vai ajudar seu bonsai a se desenvolver rapidamente. 

É importante também é dizer quando NÃO adubar sua mini árvore: não adube nas horas mais quentes do dia, não adube durante a floração e não adube logo após o transplante. Nesse último caso, aguarde cerca de 1 mês após o transplantio para iniciar a adubação.

Todas as fotos são do @bonsaipacak, do Rio de Janeiro

PRINCIPAIS PROBLEMAS COM BONSAI

Dentre o principais fatores exterminadores de bonsai estão a falta ou excesso de rega, exposição incorreta da planta ao sol ou ao clima errado e falta ou excesso de adubação. 

Leia sobre a importância da exposição correta das plantas ao sol aqui.

ESTÁ SECANDO

Muito provavelmente seu bonsai está passando sede, mas não é a única opção. Se for isso, faça uma rega de emergência e depois, regularize a rega. Depois disso, tenha calma pois a planta ainda pode demorar um pouco para se recuperar. 

Pode ser também que as raízes estejam danificadas devido ao plantio de maneira errada ou que, por excesso de rega, as raízes apodreceram e não conseguem mais absorver os nutrientes do substrato. Cuide com a rega para que o substrato esteja sempre bem drenado e seja gentil com as raízes no momento do transplantio. 

Há também a hipótese de que seu bonsai esteja num lugar muito quente para sua espécie. Por isso, é sempre muito importante conhecer a espécie do seu bonsai e suas peculiaridades. Faça uma pesquisa e se for esse o caso troque sua mini árvore de lugar.

FOLHAS AMARELANDO

Se apenas algumas poucas folhas amarelaram fique tranquilo, é normal. Mas se seu bonsai está todo amarelo fique atento! 

A falta de adubação pode causar esse sintoma no seu bonsai então lembre-se de adubar seu vaso periodicamente. Da mesma forma, a falta de água também pode deixar seu bonsai assim. Se viajou e ninguém veio cuidar do seu bonsai é bem provável que seja esse o motivo da tristeza. 

Sua planta também pode estar passando por um estresse devido a troca de lugar ou transplantio. Se você realizou alguma operação recentemente dê um tempo pro seu bonsai se recuperar. O frio também pode ser um fator estressante para algumas espécies. Se for esse o caso, abrigue seu bonsai do vento frio ao menos no período de outono e inverno.

FOLHAS QUEIMADAS

Assim como a maioria dos problemas com bonsai isso pode estar acontecendo por erro na rega tanto por excesso, causando podridão das raízes, como por falta, a folha transpira e perde mais água do que recebe quando exposta ao sol. Além disso, também pode ser que a espécie do seu bonsai não deve ficar diretamente sob o sol por muito tempo. Então, novamente: saiba qual é a espécie do seu bonsai e pesquise sobre ela.

QUEDA DE FOLHAS

Pare por um momento e pense se o seu bonsai está em um lugar adequado para a espécie dele avaliando principalmente temperatura, exposição ao sol e ao vento. Observe também se o seu bonsai não é uma espécie que deveria ficar em ambiente protegido, se você tem regado seu bonsai de maneira correta e adubado regularmente. Caso esteja fazendo tudo certo ainda há a possibilidade de que você tenha um problema com pragas ou doenças. O pessoal do Bonsai Empire tem um fórum só sobre isso e você pode conferir aqui

 

Em resumo, seus problemas com bonsai vão estar geralmente ligados à falta de cuidado ou à falta de paciência. Não dar tempo pro seu bonsai se recuperar após uma poda drástica ou transplantio, regar demais na esperança de que ele se recupere logo e adubar demais na esperança de que ele se desenvolva mais rápido pode acabar com a sua planta bem como deixar ela na seca, não realizar o transplantio e não adubar. Lembre-se que bonsai é paciência e equilíbrio.

Decidiu contratar um paisagista? Então entre em contato com a gente!

Gostou? Compartilhe!

Compartilhar no facebook
Compartilhar no google
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin

Siga-nos nas redes sociais

Quer atualizar seu jardim?

HEDERA
faz pra você!

Entre em contato e solicite uma visita ; )
Clique aqui

Contato